Seguindo a linha de nossos bate-papos sobre Angular.js, o convidado desta vez é o Fabrício. Fala aí Fabrício…

O que te deixa mais feliz ao utilizar o Angular.js?

Conseguir entregar uma interface mais responsiva pro usuário de uma forma mais organizada.

Para que tipo de aplicação você acha que ele mais se encaixa?

Em aplicações web onde há bastante interação do usuário, o que hoje em dia é praticamente 80% das aplicações.

Eu estou começando agora a aprender Angular.js, o que você recomenda que eu aprenda “direitinho”?

Aproveite os conceitos de controllers, directives, factories e services que o Angular traz, para organizar bem o seu código, entenda eles e pra que cada um serve. Pois pra quem está acostumando a usar jQuery, a tendência de fazer fazer tudo de forma macarrônica é forte no começo, e inclusive evite usar jQuery, para aprender a fazer as implementações “Angular Way”.

O que você fez em Angular.js que você olhou e disse: “ficou ducaralho!”?

O cadastro de um dos nossos clientes, a Rico: https://novo.rico.com.vc/cadastro/, onde o uso do Angular foi fundamental pra entregar uma experiência melhor ao usuário ao preencher tantas informações, e como o back-end também foi escrito em Javascript (usando Node), conseguimos reaproveitar parte do código no client e server side.

Que referências você recomenda para quem está começando ou já trabalha?

O blog do Todd Motto (http://toddmotto.com/) tem um dos melhores materias sobre AngularJS, recomendo principalmente o opinionated styleguide e pra quem quer começar tem um mega tutorial escrito por ele também.

Valeu Fabrício!