E depois de algum tempo de atraso, as entrevistas com um Vizir estão de volta. O entrevistado de hoje é o Jailson.

Passe seus dados… Qual seu nome e idade? 
R. Meu nome é Jailson Domingos do Santos e tenho 37 anos – O vovô da equipe?
Como te chamam na Vizir? E fora da empresa (por favor só adjetivos publicáveis)? 
R. Na Vizir me chamam de Jailson, amigos e família me chamam de Jota, Jotinha ou JaJá
Onde você estuda? Ou já estudou?
R. Estudei em escolas públicas da Zona Leste. José Bonifácio e Francisco Parentes.
   Me formei na Unicsul – Universidade Cruzeiro do Sul em Processamento de Dados
Quando você não está trabalhando o que gosta mais de fazer? 
R. Vejo muito filmes. Leio muito notícias e revistas diversas. Reduzi os games.
Um filme que você gosta…
R. Difícil escolher um apenas …hummm… Recomendo Wakin Life(em Rotoscópio:http://pt.wikipedia.org/wiki/Rotoscopio);
Pleasantville – A Vida em Preto e Branco de 1998.
Contos de Nova York ou qualquer um de Wood Allen.
Qual o último livro que você leu? E o livro que você mais gosta? 
R. Simultâneos(Um viva aos coletivos de SP!)
Bons: Foram os de poesias dos Saraus que participo.
Ruins: Trilogia dos 50 tons de cinza.
Técnicos: os de RSpec Test-Driven
Auto Ajuda:Casamento Blindado.
O que mais gosto?
“As mais belas poesias que o amor escreveu.”
Qual o estilo de música preferido? Qual a banda ou cantor(a) preferido?
R. Eclético que sou..Já fui mais Punk / Hardcore. Minha banda tocava (Raimundos, Iron , Legião, Sepultura).
Tenho preferência por Rock Nacional e MPB. Renato Russo e Legião sempre!!
O que você acha que trouxe de bom para o time da Vizir? No que você acha que se sai melhor?
R. Trouxe minha experiência em adaptação a desafios. Minha vontade de ver as coisas darem certo e fazer acontecerem.
Acho que me saio melhor em lidar com grupos de pessoas/equipes mistas, tanto em pensamento quanto em tecnologias.
Ouvir e aprender muito, ensinar o que for possível. Enfim, trabalho em equipe.
O que mais te atraiu para vir trabalhar na empresa?
R. O ambiente descrito na proposta. A chance de conhecer novos desafios e tecnologias emergentes. Ambiente linux e web no meu desktop..rsrs..
Você já teve outros empregos anteriores a Vizir e nem todos na área de programação, fala um pouquinho mais sobre estas suas experiências. 
Fiquei sabendo que você até ficou amigo do Galvão Bueno, é verdade?

R. Não nunca fui amigo do Galvão não..não. Apenas o servi e o atendi muito bem com grande frequência no período em que trabalhei em restaurante dos Jardins.
Agora falar sobre todas atividades daria um bom livro…heheh…Vou citar as que lembro, com alguma regularidade ou vínculo empregatício:
Carregador de compras em feiras do Bom Retiro e Brás; Feirante(Vendedor de cebola, limão e mangas); Empacotador pela extinta Patrulha Mirim (Legião de encaminhamento do menor paulista); Ajudante de Pedreiro; Office Boy na Sta. Efigênia. Balconista de lojas do Braz;
Depenador de galinhas; Pizaiolo, caixa, atendente de lanchonete, Cobrador de lotação da vila. Enfestador, ajud. de corte, Ajud. geral, Ajud. modelista na K2B. Linha de produção de fábrica de móveis Bergamo. Promotor Carrefour/ HP na Fenassoft 1 e ;
Promoter Carrefour / Conectiva Marumbi Fenassoft 2. Aux. Administrativo, manutenção, suporte, web e desig gráfico do Lellis Trattoria;
Desenhista / Ilustrador em naquim das Editoras Online e IBC e outros como freelancer;Ilustrador CorewDraw/Photoshop;
A partir dai ja entraria nas listas de estágios em Clipper, Linux, MySql, VB, Delphi e hoje Ruby.
Você conhece o Antonio há algum tempo, tem alguma história antiga que você queira compartilhar conosco? De preferência alguma história engraçada…
R. Não sei engraçadas. Sou grato por na infância ele vender fiado bolachas passatempo escondido da mãe.
Algumas destas compras indiretamente financiavam meus passeios ao Parque ecológico e treinamento no Pico do Jaragua.
Gostava de ver um moleque tomar conta do pequeno negócio.
E o que tem achado da Vizir até agora? Tem curtido esta galera? 
Tenho curtido muito sim. O ambiente, as políticas internas, as metodologias e metas, os investimentos constantes no pessoal.
O que mais admiro é encontrar jovens tão qualificados e responsáveis num mesmo ambiente.
Para quem, como eu, vem de ambientes corporativos de obrigatoriedade formal e até hostis em sua competitividade interna toma um choque a principio.
É uma grande família, com um grande futuro.