Vitor Pinheiro Margis é nosso designer e programador front-end. Ele entrou na empresa já faz quase cinco meses. E não havia meios do rapaz responder a nossa pesquisa!

Passe seus dados… Qual seu nome e idade? 

Vitor Pinheiro Margis, 22 anos

Como te chamam na Vizir? E fora da empresa (por favor só adjetivos publicáveis)?
Pinheiro

Onde você estuda? Ou já estudou?
Sou formado em  Design Gráfico com Ênfase em Marketing pela ESPM de Porto alegre.

Quando você não está trabalhando o que gosta mais de fazer?
Jogar ioio, malabares, fazer e ouvir um som, ler, ver séries de TV.

Um filme que você gosta…
Wrist Cutter – A Love Story.

Qual o último livro que você leu? E o que você mais gosta?
A Fortaleza de Sharpe
Admirável Mundo Novo

Qual o estilo de música preferido? Qual a banda ou cantor(a) preferido?
Sou fã principalmente de Rock Progressivo  e de um som com algum tipo de influencia folk, duas bandas que da para citar respectivamente são Jethro Tull e Brown Bird.

O que você acha que trouxe bom para o time da Vizir? No que você acha que se sai melhor?
Acho que o meu forte dentro do time é estabelecer uma ponte entre a apresentação visual ou o design dos projetos e a parte back-end do processo.

O que mais te atraiu para vir trabalhar na empresa?
Além do ambiente que de cara se mostrou muito bom e das pessoas que tambem são muito legais, um ponto importante foi a perspectivas fututras, sentir que a empresa tem muito o que crescer ainda.

O que você pretende aprender em 2012?
Pretendo aprimorar ao máximo meus conhecimentos em JavaScript além de começar a estudar mais a fundo HTML5 e CSS3. Focando sempre em melhorar enquanto desenvolvedor front-end.

Você foi o último a chegar. É o 04. Até o momento, está curtindo? O que você mais gostou nesta chegada?
Estou curtindo bastante, não tenho do que reclamar. Mas o que mais gostei foram dos Cookies.

Conta um pouco para nós o que está achando dos primeiros projetos?
Estou gostando, especialmente porque envolveram coisas tópicos dos quais eu não estava 100% familiarizado. Então foi muito bom pra aprender e me aprimorar.

Sabemos que você tem uma certa crise de naturalidade, pois nasceu no Rio, cresceu em Porto Alegre, já morou na Austrália, agora em mora São Paulo, conta um pouco para nós desta peregrinação, e porque  resolveu para em Sampa?
Então, sendo breve. Nenhum dos meus pais é do Rio, eles se só se conheceram lá e eu acabei nascendo e morando por aquelas bandas também, e por isso me mudar de lá em algum momento foi um processo natural. Em relação as experiencias no exterior, é culpa dos meus pais também, que sempre foram muito ativos no meio acadêmico na área deles, e por essa razão acabaram morando fora algumas vezes e me levaram junto.
Vir para São Paulo foi além de uma decisão influenciada por questões pessoais, uma decisão influenciada pelo lado profissional e o maior número de oportunidades.

Nota: Além de melhorar a qualidade de nossa interface com o usuário, ele também ensinou o Panta a fazer malabares e era imbatível no Mario Kart, embora agora o pessoal já ganhe dele.