Estivemos na BrasilJS especificamente na edição que aconteceu em Fortaleza nos dias 1 e 2 de agosto. O evento foi realizado no Centro Universitário 7 de setembro. De modo geral foi o evento foi bastante proveitoso tanto no primeiro quanto no segundo dia, o auditório estava lotado em ambos e contando com a presença de desenvolvedores de várias partes do nordeste e do Brasil.

Vale ressaltar aqui a iniciativa super bacana da organização do evento que abriu as portas para desenvolvedoras no segundo dia do evento, que se tornou inteiramente gratuito para mulheres afim de incentivar a participação feminina tanto no evento quanto no mercado de TI.

Um ponto fraco do evento o fato do grande volume de palestrantes. Acabou que o conteúdo que eles tinham teve que ser apresentado muito rápido ou de maneira rasa, porém, o que foi passado foi de uma qualidade excelente. Abaixo um overview do que rolou:

DIA 1

No primeiro dia de cara, André Staltz nos apresentou o RxJS lib na qual contribui que visa, entre outras coisas, simplificar a infinidade de callbacks que o javascript oferece e que em algum momento pode dar  um nó na sua cabeça. Segue o link do repositório https://github.com/Reactive-Extensions/RxJS

Logo na sequência a  Milene Lacerda tocou num assunto extremamente recorrente e que parece estar muito em alta no mercado JS as PWA’s. Ela nos contou a experiência que teve utilizando a lib ou framework que parece estar se tornando a nova  onda do momento… O VUEjs

O próximo destaque foi Patrick Kettner falando sobre low level Api’s que em um futuro que não está muito distante irá dominar os navegadores, já pensou poder usar variáveis de css nativamente sem precisar de pré processadores? poisé… virando a esquina isso vai ser possível! Já vale a pena parar pra começar estudar CSSOM e CSS engine api e se preparar para o que está por vir.

A  Isabella Silveira de Souza (ou simplesmente Isa, como prefere ser chamada) veio apresentar o poder de outro assunto bem quente, o Machine Learning, Eu mesmo não sabia por onde começar a aprender e na sua palestra ela nos apresentou o caminho das pedras com o MLjs e como machine learning pode  não ser o bicho de 7 cabeças que pode parecer.

Por último e  não menos importante, pra encerrar com chave de ouro Gabriel Engel veio nos contar sobre sua empreitada com o Rocket Chat e como um projeto despretensioso de open source pode se tornar uma empresa de sucesso no vale  do silício.

DIA 2

O segundo dia já começou com palestra internacional! O super carismático Jem Young veio lá da Netflix para falar o quão importante e como ele mantém seu código sempre enxuto e fácil de lidar, parece assunto velho, mas é sempre bom relembrar.

O destaque do dia veio logo na sequência, Evelyn Mendes veio falar das facilidades de Angular e Firebase, mas mais do que isso. Ela emocionou quem estava presente ao falar sobre a inclusão e a participação feminina no mercado de TI, convocando todas as mulheres presentes ao palco falou do quão importante é lutar por essa causa, é 2017 e ainda temos inúmeros casos de assédio sexual e moral assim como desigualdade salarial no mercado. Isso é alarmante e precisa mudar, o mais rápido possível.

Depois das lágrimas veio uma palestra super interessante sobre mapas, sim, mapas. Luigui Delyer veio nos mostrar que mapas podem sem bem mais que colocar marcadores em telhados. Trabalhar com ferramentas de exibição de dados utilizando mapas pode ser algo muito complicado com o ESRI pensando nisso Luigi está desenvolvendo um projeto chamado ArcEasy que visa simplificar esse trabalho, lançado na BrasilJS o projeto está fresquinho e precisando de ajuda, vamo lá galera!

A Fernanda Bernardo veio para falar sobre EcmaScript7 acabando de vez com a confusão sobre o que é ES6, 7, 8 e assim vai. Object value, Async e Await e várias outras especificações foram mostradas por ela.

Mariko Kosaka da google em um livecode nos mostrou como criar nossos próprios compiladores usando Node e Javascript, assim, rompendo as barreiras de linguagens de programação e ajudando a entender como JS funciona atrás das cortinas.

 

Esses foram apenas alguns destaques do evento,  esperamos que mais eventos como esse aconteçam no Brasil. Vale mais uma vez a pena reforçar que as nossas desenvolvedoras precisam ter mais representatividade e que elas merecem tudo e muito mais do que já alcançaram, essa precisa ser uma luta de todos.

Abaixo seguem links para as palestras que rolaram na edição de Porto Alegre:

Dia 1: https://www.youtube.com/watch?v=8vtVmLviiGQ

Dia 2: https://www.youtube.com/watch?v=EpgIqysA3Fw

Abraço e até a próxima.