E a palestra que colocamos um resumo agora é do pessoal da Plataformatec e de um amigo do Iuji (que trabalha aqui na Vizir), o Yoshio Teruia. Nesta palestra ele fala basicamente do que tem de novo no Rails 5.

O Fabrício já havia feito um post aqui em nosso blog, com novidades do Rails 5, focando mais no ActionCable e Rails API.

Sobre a palestra, o legal que ele fez um apanhado com diversos pontos a serem considerados, alguns já bem conhecidos, mas vamos passando aqui por eles:

Action Cable: realtime com Rails, utilizando websocket. Uma funcionalidade controversa, mas que vale a pena dar uma olhada. Tem este bom post da Heroku.

Linha de comando: quem estava começando a aprender Rails sempre ficava na dúvida é rails ou é rake. Agora é tudo rails.

Testes: antes a grande maioria só usava o Rspec. Agora o mini-test foi incorporando diversas funcionalidades do Rspec como a opção fail fast (rails test -f) e executar apenas um teste direto pela linha de comando.

Kwarg nos métodos de requisição: a fase de exercise nos testes de integracao nao ficam tao explícitas.

Asset Pipeline: podemos desabilitar os logs dos assets. No Rails 4 adicionávamos uma gem externa e no Rails 5 vem habilitado por padrão.

Active Record: seguem as principais alterações.

  • Configuração para gerar tabelas com chave UUID como primary key. Mas cuidado que o first e o last param de funcionar como deveriam.
  • Índice nos erros de nested attributes agora podem ser enviados. Se você tem um formulário com nested, agora ele te informa qual veio com erro.
  • Active Relation com OR. Pode parecer brincadeira, mas só agora você pode escrever uma relação com OR sem ter que chumbar lá uma string.
  • Left outer join. Agora é possível utilizá-lo em uma maneira mais “Rails”.
  • Accessed_fields: uma forma prática de saber os parâmetros utilizados pela view. Assim, podemos atualizar nossa query para ler somente os atributos desejados do banco. Mas cuidado, ele exibirá só os que foram efetivamente lidos para gerar aquela view, cuidado com os condicionais!
  • Colourful query logs: parece besta, mas é bom. Cada tipo de query vai ter uma cor

Quer se manter atualizado do que está rolando no Rails, estas são boas referências: 

E já que a palestra era do pessoal da Plataformatec, vale falar que eles lançaram na RubyConf a sua plataforma para análise estática de código, dê uma olhada: ebertapp.io.