Já falamos como contratamos novos Vizires e comentamos que temos uma equipe com pouca rotatividade. Chegou a hora de falarmos como fazemos isso.

Acreditamos que o segredo de uma excelente equipe está na hora da contratação, mas não quer dizer que não acontecem percalços no meio do caminho. Com o tempo tudo muda. As empresa mudam, as equipes mudam e as pessoas mudam. Algo natural.

Como nós mantemos nossa rotatividade baixa? Prestando muita atenção nos sinais que vão aparecendo. A equipe continua no pico da sua performance? Se não, o que está acontecendo? O comportamento da pessoa anda muito diferente do seu normal? Vamos conversar e entender o que passa na cabeça dela. O ambiente de trabalho não anda como queríamos? Vamos sentar todos juntos e ter uma conversa sincera.

Feedback constante foi o que sempre fizemos para entender o que passa na empresa. Não precisa ser algo formal, como nós também fazemos a cada 3 meses, pode ser uma conversa descontraída enquanto se toma um café na cozinha. Um papo rápido com os gestores no Slack sem que ninguém precise saber. O segredo é ser uma empresa aberta de mão dupla. Ambas as partes podem começar essa conversa.

Nos feedbacks procuramos saber tudo o que a pessoa acha que funciona e o que não funciona na empresa. Vai de como gerenciamos a empresa e dividimos os times até a decoração do nosso escritório. Outra coisa que descobrimos com o tempo é que perguntar quem as pessoas mais admiram entre os colegas ajuda, e muito, na hora de montar os times para cada projeto. Conseguimos montar times formados por pessoas com admiração mutua e isso se mostrou eficaz para aumentar a qualidade do trabalho.

Trabalhamos com times pequenos que auto se gerenciam. Temos a figura do líder de time, mas isso não quer dizer que tudo precisa passar e ser aprovado por ele. Todos possuem responsabilidades e liberdade para fazer o que é melhor para o projeto. Outras vantagens de trabalhar com times pequeno é o sentimento que o trabalho de cada um traz resultado. Isso ajuda muito a manter as pessoas motivadas, já que conseguem enxergar seu impacto no projeto.

Mas, as vezes, não tem jeito. Chega a hora da pessoa ser desligada do grupo. Não gostamos de demitir ninguém, mas sabemos o efeito que uma pessoa não alinhada com a empresa pode causar e não vamos pagar para ver se esse caso é diferente.

Sempre é bom mostrar com dados se algo dá certo ou não. 49 pessoas se tornaram vizires, 07 saíram por conta própria, 01 nós tivemos que tirar da equipe. 57,5% das pessoas estão a 2 ou mais anos com a gente.

Se você quer diminuir a rotatividade da sua empresa, crie um ambiente onde as pessoas se sintam seguras e desafiadas. Medo e tédio são os piores sentimentos que um funcionário pode sentir. Isso é o que faz ele procurar novos desafios por aí. Não tenha medo de tirar aqueles que não estão mais alinhados. É o melhor para sua empresa e para a pessoa.