Um dos assuntos que mais está na moda quando se fala de empresas é cultura. Quais os valores a empresa defende, que tipo de pessoas querem ajudando em seus sonhos grandes e no que as pessoas devem focar caso queiram crescer dentro daquele empresa.

Na verdade, não é um assunto novo. Desde sempre empresas tiveram missão, visão e valores. Pelo menos estampadas na parede. Você pode ir em um cartório, um lugar que ninguém gosta de ir, ou por causa da inconveniência ou pelo péssimo atendimento, e você verá em alguma parede que um dos valores é “facilitar a vida da pessoas e atender com cordialidade”. Todos que já foram em um sabem que a experiência não chega nem perto disso.

Empresas envolvidas em casos mundiais de corrupção sempre aparecem com valores como Integridade, respeito etc. Acho que não precisamos explicar mais. Deu para entender onde queremos chegar.

O problemas de todos esses casos é que esses valores, visão e missão são apenas palavras em uma parede. Um checklist do RH e uma página nos livros para os investidores. Nessas empresas, não existe nenhuma comprovação que tais coisas são feitas no dia-a-dia. Basta ver quem é promovido, quem recebe um aumento e quem é demitido. É só um funcionário novo ficar 3 meses que ele já percebe que tudo é uma grande mentira.

Nós montamos a Vizir porque acreditamos que dá para alinhar valores reais e resultados. Gostávamos de trabalhar de uma determinada maneira e de fazer negócios e fomos indo aos poucos. Em cada contratação escolhíamos o que mais se identificava com o que acreditamos e fomos indo até chegar nas pessoas que temos hoje.

Porém, no início de 2016, Adelson, que está com a gente desde 2014, achou que era hora de tornar palpável o que acreditamos e aplicávamos no nosso dia-a-dia. Não contar mais com a sorte de que novas pessoas “pegariam” a cultura da Vizir com o tempo.

Só esse início já foi muito simbólico para a gente. Não começou com uma iniciativa de cima para baixo dos sócios, mas sim de alguém que gosta de onde trabalha e não quer que os valores se percam porque a empresa cresceu.

Nós tínhamos uma boa ideia do que as pessoas que trabalhava aqui acreditavam que era a Vizir, mas colocar para discussão aberta com pessoas que estavam desde o início da Vizir até os mais novos foi revelador: Nossa cultura estava mais forte ainda do que quando escrevemos os valores no nosso primeiro site. Não existia a dúvida na cabeça das pessoas sobre o que nós defendíamos ou o que valorizávamos neles. Para todos que participaram do processo, era visível que nós aplicávamos os valores no nosso dia-a-dia. Para nós não eram apenas palavras bonitas no site ou nas apresentações de resultados. É real.

Nós temos 4 valores centrais: Ganhar XP, Vai sem medo, Divirta-se e Tamo Junto!

Ganhar XP é o valor que representa o crescimento profissional e pessoal. Como em um jogo de RPG, a cada nova fase temos desafios maiores e mais difíceis e se não melhorarmos na mesmas proporção, ficaremos travados e todos os sonhos, desejos e metas que temos serão bem mais difíceis, ou impossíveis de alcançar.

Queremos ser muito maiores do que somos hoje e só será possível com pessoas que também querem melhorar com o tempo. Não só no quesito técnico, mas no pessoal.

Vai sem medo é nosso valor de abraçar os riscos. Quantas ideias boas todo mundo já teve, mas nunca colocou em prática? O vai sem medo é o empurrãozinho que as pessoas precisam para fazer as coisas sem esperar autorização. Se todas as decisões ficaram apenas nas mãos de poucas pessoas, dificilmente faremos algo diferente e/ou ideias boas serão barradas por miopia dessas pessoas. Temos bons exemplos disso aqui. Alguns funcionários nossos possuem startups e nós incentivamos isso.

Divirta-se é um valor que sempre acreditamos. Não dá mais para trabalhar horas e mais horas em um lugar que você não se divirta e seja feliz. Foi-se o tempo que existia vida profissional e pessoal de forma separadas. Existe apenas vida. Não queremos pessoas olhando o relógio contando as horas para “começar a viver”.

Tamo junto é o sentimento de família por escolha. Todas as pessoas que estão aqui escolheram trabalhar juntos. Podiam ter aceitado outra proposta ou já terem saído, mas estão aqui. Trabalhando juntos em algo que acreditam e com pessoas que gostam. “Seu problema é nosso problema”. Queremos uma empresa mais humana, onde pessoas não são nomes e números em uma planilha. A única forma que conhecemos de fazer isso é conhecer de verdade as pessoas. Suas motivações, seus sonhos e seus problemas. Assim como as pessoas ajudam a nossa empresa crescer, também temos que ajuda-las em suas vidas.

Falar de uma cultura forte é moda nas empresas e alguns culture books são muito conhecidos por todos. Zappos, Netflix e Linkedin, apenas para citar alguns. Um um excelente livro para os que querem descobrir mais sobre sua empresa é Propósito, do Joey Reiman.

Nesse vídeo é possível ver a importância, e tempo, que Gary Vaynerchuk, outro grande defensor de que uma cultura forte é essencial para o sucesso, dá para esse assunto.

O que diferencia esses dos de outras grandes empresas é que as pessoas veem na prática o que está escrito ali no dia-a-dia. Claro que sempre vão existir pessoas que falam que não é bem assim, mas também temos que aceitar que nem toda cultura é para todo mundo. Talvez a pessoa não seja alinhada com os valores da empresa ou estava em um setor onde não era tão aplicado. Mas, se boa parte da empresa vê o que está escrito na prática, está no caminho certo.

O maior problema para as pessoas é não identificar esses valores aplicados. Isso se torna uma espiral de decisões ruins, tanto de negócios como de contratação, que podem levar uma empresa de sucesso ao fracasso.

Não custa lembrar que não existem cultura certa e errada, mas sim cultura que as pessoas não se encaixam ou adaptam.

E a sua? São apenas palavras bonitas na entrada do escritório ou as pessoas sabem que são verdade?