O entrevistado de hoje é o Douglas Franco. Ele se juntou ao time da Vizir para reforçar nossa equipe do projeto da Ticket. Ele manja de .NET e gosta muito de moto e velocidade.

Passe seus dados Qual seu nome e idade?

R. Douglas Franco, tenho 25 anos.

Como te chamam na Vizir? E fora da empresa (por favor só adjetivos publicáveis)?

R. Na Vizir pelo meu nome mesmo, já me chamaram de Dentes de Sabre, o irmão do Volverine, dizem que me pareço com ele.


Onde você estuda? Ou já estudou?

R. Estudei na Anhembi Morumbi Design Digital, porem acabei migrando para Analise e Desenvolvimento de Sistemas na FMU.


O que te levou a programar?

R. Aos 8 anos de idade ganhei meu primeiro computador dos meus pais, e sempre fui muito curioso por tecnologia. Meu primeiro contato com programação foi em 2003, criando sistemas web para gerenciar servidores de Tibia em PHP.


Quando você não está trabalhando o que gosta mais de fazer?

R. Gosto de Ler, viajar, jogar games, e quando posso andar de moto.


Um filme que você gosta…

R. A Rede Social, ja assisti inúmeras vezes, inclusive foi responsável por me dar o primeiro empurrão para o empreendedorismo, assisti o filme, li o livro, e resolvi fazer uma startup, uma Rede Social para consumidores em 2011, que não vingou mas me deu muita experiência.


Qual o último livro que você leu? E o livro que você mais gosta?

R. Domain-Driven-Design de Eric Evans. Eu não tenho um livro favorito. Eu leio de tudo, desde livros técnicos, a romances por exemplo.


Qual o estilo de música preferido? Qual a banda ou cantor(a) preferido?

R. Para programar eu só ouço musica eletrônica. Fora isso, eu escuto de tudo, depende do ambiente. Não tenho um cantor ou banda favorita.


Antes de programar, você já foi vendedor da Polishop. Qual o produto que mais vendia? E qual era mais legal de demonstrar para os clientes?

R. A Polishop foi uma escola pra mim. Aprendi muito e desenvolvi um perfil profissional bem dinâmico. Aprendi a lidar com clientes e suas objeções, a competir vendas com outros vendedores, e até trabalhar em equipe. Foi uma experiência única.


Falando em vendas, você se acha um bom vendedor?

R. Sim, eu costumo dizer que serei vendedor para sempre, até por que tudo no mundo dos negócios, seja qual for a área, se resume em Vendas. Não basta ter um bom sistema se não souber vende-lo.


O que você acha que trouxe de bom para o time da Vizir? No que você acha que se sai melhor?

R. A Vizir possui um time incrível de programadores, cada um com suas características pessoais e ideias. Eu acredito que sou mais uma peça para fortalecer esse time com minhas características como programador e como pessoa. Sou um apaixonado por tecnologia e adoro estudar técnicas e conceitos novas, além de ser um bom vendedor rs, vou ajudar a vender o peixe que produzirmos.


O que mais te atraiu para vir trabalhar na empresa?

R. Vendo de fora, quando me inscrevi para entrar pro time, tem-se a ideia de ser uma empresa que respira tecnologia, e isso me chamou atenção, a forma como descrevem o que produzem serem #ducaralhices

 

No que você acha que a Vizir ainda pode melhorar?

R. Mesmo sento uma empresa nova, a Vizir já conseguiu seu espaço, possui grandes cases no portfólio e uma equipe que veste a camisa do time. Continuar com essa receita para juntos continuarmos produzindo e colhendo grandes resultados.


O que você tem mais gostado no projeto que trabalhou ultimamente?

R. Estou tendo a oportunidade de trabalhar com ferramentas, técnicas e metodologias que estão em alta no mercado de TI. O que anteriormente eu passaria tempo em casa nas horas vagas fuçando e “codando” para me manter atualizado, eu faço aqui em expediente de trabalho, usando coisas que da gosto de usar.


E o que tem achado da Vizir até agora? Tem curtido esta galera?

R. Fui muito bem recebido, e apesar do pouco tempo, já me relaciono bem com todos do time. O ambiente de trabalho é muito agradável e as ideias estão sempre em sintonia.


Um vídeo do You Tube que você goste

Esse video da Microsoft é incrível, vi pela primeira vez em uma palestra. Ilustra as tendências do Consumidor do Futuro. E eu, como programador-vendedor farei parte disso rs


Uma música que você não gosta mas sabe a letra

R. Homem não Chora, Pablo kkkkk